TRANSLATE/ TRADUTOR

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

Pesquisar no Blog

Carregando...

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

PARASITAS - ENDOPARASITAS E ECTOPARASITAS - Parte II

ECTOPARASITAS (vem de fora)

   Dando continuidade ao post anterior vamos falar dos bichinhos nojentos que podem atacar nossos peludos, entre eles, carrapatos, pulgas...etc.





1 - Pulgas
   Nosso clima tropical favorece a infestação de algumas pulgas, são elas Ctenocephalides felis felis e Ctenocephalides canis canis. A pulga tem um ciclo de vida de 12 a 174 dias. 
   Pulga macho e pulga fêmea se alimentam de sangue do seu hospedeiro, a fêmea ingere mais sangue, porém com frequência menor que o macho.
   As fezes da pulga podem ser vistas a olho nu no corpo de animal infestado, são de uma coloração avermelhada, pois ao se alimentarem elas excretam grande quantidade de sangue digerido.
   Depositam 2000 ovos durante sua vida, em média 50 ovos por dia.

Doenças que podem ser causadas por pulgas:
- DAPP (Dermatite Alérgica a Picada de Pulga) - causada pela saliva da pulga que contém aminoácidos, fósforo, material fluorescente, compostos aromáticos e polipeptídios, conferindo hiprsensibilidade aos animais.  A coceira que isso faz o animal sentir, faz também com que caiam os pelos. Posteriormente os animais são acometidos por infecções secundárias (por bactérias e fungos). Nem todos os cães são alérgicos às picadas de pulgas.
- Infecção por Dipylidium caninum, os animais engolem pulgas quando tentam removê-las. E as pulgas são hospedeiras intermediárias para esse verme, causando verminose nos cães e gatos.

Existem casos de tamanha infestação por pulgas (puliciose) tão severa que  causou anemia profunda e até a morte de cães.
  Deve-se tratar o ambiente em especial, pois a maior parte das pulgas vivem no ambiente.

2 - Carrapatos
   Somente 5% dos carrapatos são encontrados em animais, o restante 95% está no ambiente em forma de ovos, larva, ninfa e adulto.

Vou falar da principal espécie encontrada no Brasil que é o Amblyomma cajenense,  parasita desde animais de sangue frio até os de sangue quente, incluindo o homem. Tem 3 estágios evolutivos, e cada estágio se dá em hospedeiro diferente. Popularmente conhecido como carrapato estrela, e quando jovem conhecido como "micuim" e possui 3 pares de patas neste estágio.
 Ele fica esperando seu hospedeiro em topo de vegetações ficam aos milhares. As fêmeas sugam o sangue de seu hospedeiro para realizar a ovoposição, que neste gênero de carrapatos é feita uma vez ao ano.
 Quando adulto resiste por até 2 anos no ambiente sem se alimentar, a Ninfa sobrevive 1 ano e a larva por até 6 meses.

Doenças transmitidas pelo carrapato:
- BABESIOSE - Transmitida pela picada de um carrapato infectado. Ela entra na hemácia (glóbulo vermelho) do hospedeiro e se reproduz, causa a destruição das células do sangue (hemólise), podendo levar à anemia, aumento de baço e culminar na morte do mesmo se não receber o tratamento veterinário adequado o mais rápido possível.
- ERLIQUIOSE - Também pela picada do carrapato infectado. Ela entra nos leucócitos e lá se reproduz. Por se reproduzir nas células de defesa do hospedeiro, este fica mais susceptível a outros tipos de infecções, com a redução do número de plaquetas, diminuindo sua capacidade de coagulação podendo levar á morte.
- FEBRE MACULOSA - é uma doença muito grave, sendo conhecida como doença das montanhas rochosas é causada pela Rickettsia rickettsii (por carrapato infectado). Causa febre, hematomas na pele, sinais neurológicos, aumento de fígado e baço culminando na morte do hospedeiro. A febre maculosa é uma zoonose*.
- DOENÇA DE LYME - Pouco conhecida e sem muitos relatos no Brasil. O hospdeiro contamina-se pela picada de um carrapato infectado, apresenta febre esporádica e vermelhidão (eritema) no local da picada. D edifícil tratamento, após o eritema sumir em alguns dias, o hospedeiro começa a apresentar dores articulares e alterações neurológicas. Também é uma zoonose*.


3 - Mosca
   As principais moscas que parasitam os cães são: Dermatobia hominis (larva do berne) e Cochlioyia hominivorax (larva da bicheira).

BERNE - Ela não deposita suas larvas diretamente no animal parasitado. Ela se adere a outros tipos de moscas e mosquitos que são os intermediários para carregarem seus ovos. Eles ao pousarem nos animais deixam o ovos caírem, e eles passam para o estágio de larvas que penetram na pele. é necessário um tratamento com médico veterinário.



BICHEIRA - é atraída ao hospedeiro por meio de feridas abertas e secreções, alí pousam nos animais e depositam até centenas de ovos, larvas se desenvolvem e viram moscas adultas, danificando vários tecidos, causando infecções secundárias podendo culminar na morte do animal. Também necessita de intervenção de um médico veterinário. 

4 - Sarna
 Causada por ácaro que acomete a pele ou conduto auditiva dos cães.
As sarnas diferenciam-se pelo agente causador e pela sintomatologia por este causada:

- Sarna Sarcóptica ou vermelha;
- Sarna Demodécica ou negra;
- Sarna Otodécica ou de orelha.

Sarna Vermelha - causada pelo ácaro Sarcoptes scabiei, A doença é caracterizada por prurido intenso (coceira), lesões na pele, infecções secundárias (muitas vezes bacteriana) gerando mal cheiro, queda de pelos, secreções com pus na pele causando crostas. Estas lesões preferencialmente ocorrem nos cotovelos, joelhos, peito, abdome ventral. porém em casos graves acomete toda e pele do cão.
Ela é contagiosa, para outros animais e o homem. A transmissão ocorre pelo contato direto com o animal contaminado.

Sarna negra -  Causada pelo ácaro Demodex canis, é caracterizada por grande quantidade do ácaro dentro do folículo piloso, causando furúnculos e infecção bacteriana secundária. Muitas vezes o organismo de defesa do animal contaminado combate estes ácaros e a doença não se manifesta, porém em caso em que sua imunidade baixe (cio, parto, gestação, quimioterapia, doença primária, filhote, idoso) o número de ácaros pode aumentar e causas a sintomatologia da doença.
Ela inicialmente não causa coceira, somente se o animal apresentar infecção bacteriana secundária. As lesões inicialmente aparecem ao redor dos olhos, orelhas e patas, podendo afetar toda a pele do animal. A pele pode apresentar vermelhidão, crostas, placas, folículos pilosos dilatados contendo pus.
   Sua proliferação acontece por predisposição genética ou distúrbio imunológico do animal. A fêmea pode transmitir para seus filhotes na amamentação o que é muito comum.  A doença pode desaparecer espontâneamente, porém ela é de caráter crônico, ou seja, pode se manifestar ao longo da vida do cão.

Sarna de Orelha - é a otite parasitária causada pe lo ácaro Otodectes cynotis, não sendo o único caudor existem também o  Demodex ssp., Sarcoptes ssp. e Otobius megnini.
Caracteríza-se por grande quantidade de cerúmem, vermelhidão, odor forte, coceira intensa e pode evoluir para infecção bacteriana ou fúngica secundária. Ela é transmissível para os animais que estivem em contato com o animal infectado.

As sarnas são diagnosticadas por exames realizados por médicos veterinários e exames laboratoriais.

Em todos os casos, a limpeza ambiente e do animal, controle de sua boa saúde, esquema de vacinas e vermífugos sempre em dia conforme a recomendação de seu médico veterinário de confiança, em caso de dúvida sempre ouça segunda ou terceiras opiniões.
   Também é muito importante, que a cada passeio que temos com nossos peludos, ou que eles tenham em  jardins, praças em fim, fora de casa, no retorno seja feito uma verdadeira varredura em toda pelagem para que nos certifiquemos de que não haja nenhum ectoparasita oportunista. Escová-lo observando a pele e o pelo como um todo nos ajuda a evitar esses bichinhos nojentos.


*Zoonose - são infecções e doenças que podem ser adquiridas em contato com animais de estimação 

como cachorro, gato e passarinho, ou ainda, pela ingestão de carne contaminada de animais como o gado ou o porco. Outras doenças podem ser contraídas através do contato não desejado com ratos, moscas e baratas, principalmente através da ingestão de água ou alimentos contaminados.



Fonte: Livro: Guia Profissional e Prático para Criação de Cães.


Postado por Kely V.S.S.





5 comentários:

  1. é muito grande quero um resumo!!
    obrigadoo
    preciso bem rapido pra aescol.a

    ResponderExcluir
  2. muito longo preciso disso para o meu trabalho de ciências

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. tbm preciso isso para um trabalho de ciências

      Excluir
  3. meu deus é muito grandeee presciso de um resumo para o meu trabalho de ciências da escola

    ResponderExcluir
  4. é ajudou muito agradeço quem fez ^-^

    ResponderExcluir

Deixe aqui, críticas, sugestões e elogios, sua opinião é muito importante!!

COMENTE!!!!!